Notícias e Artigos

SIPAT 2018

A Comissão Interna de Prevenção de Acidente (CIPA) 2018/2019 realizará mais uma SIPAT Semana Interna de Prevenção de Acidentes, com o tema “Um trabalho bem executado tem a segurança como resultado” nos dia 16, 18 e 20 de julho de 2018, nas unidades do Grupo HSVP. Os participantes contarão com palestras educativas e atividades recreativas. O evento é voltado aos funcionários do Grupo HSVP, que terão a oportunidade de trocar ideias e obter mais conhecimento sobre Risco biológico, Cuidado consigo mesmo, e Hábitos Alimentares. O principal objetivo é conscientizar os funcionários sobre a prevenção de acidentes, saúde e segurança, no local de trabalho, além da importância de cuidar de si para a realização de um trabalho bem executado, gerando como resultado a segurança.

 

 

Palestrantes:

Pedro Paulo Gonzaga de Lacio

Enfermeiro

Formado na Universidade Salgado de Oliveira (2010), atuante no grupo HSVP a 2 anos. Gerente de enfermagem e gestor de pessoal na UPA Norte em Benfica, responsável pela educação continuada do serviço de enfermagem, com experiência na área de enfermagem, com ênfase urgência e emergência, especialista em enfermagem do trabalho pela Uninter.

 

Luciana Fantini Salles

Psicóloga

A cada 17 minutos uma mulher é vítima de violência...

No dia 08 de março é comemorado o Dia internacional da Mulher.

O dia 8 de março é o resultado de uma série de fatos, lutas e reivindicações das mulheres (principalmente nos EUA e Europa) por melhores condições de trabalho e direitos sociais e políticos, que tiveram início na segunda metade do século XIX e se estenderam até as primeiras décadas do XX.

No dia 8 de março de 1857, trabalhadores de uma indústria têxtil de Nova Iorque fizerem greve por melhores condições de trabalho e igualdades de direitos trabalhistas para as mulheres. O movimento foi reprimido com violência pela polícia. Em 8 de março de 1908, trabalhadoras do comércio de agulhas de Nova Iorque, fizeram uma manifestação para lembrar o movimento de 1857 e exigir o voto feminino e fim do trabalho infantil. Este movimento também foi reprimido pela polícia.

No dia 25 de março de 1911, cerca de 145 trabalhadores (maioria mulheres) morreram queimados num incêndio numa fábrica de tecidos em Nova Iorque. As mortes ocorreram em função das precárias condições de segurança no local. Como reação, o fato trágico provocou várias mudanças nas leis trabalhistas e de segurança de trabalho, gerando melhores condições para os trabalhadores norte-americanos

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem ao movimento pelos direitos das mulheres e como forma de obter apoio internacional para luta em favor do direito de voto para as mulheres (sufrágio universal). Mas somente no ano de 1975, durante o Ano Internacional da Mulher, que a ONU (Organização das Nações Unidas) passou a celebrar o Dia Internacional da Mulher em 8 de março.

2016 já teve mais de 1,9 milhão de casos de dengue, chikungunya e zika

O Brasil já registrou 1.946.765 casos de dengue, zika e chikungunya só em 2016. Foram 1.475.940 casos de dengue, 259.928 casos de chikungunya e 210.897 casos de zika, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde que leva em conta os casos notificados até 28 de novembro.

Ao todo, 734 pessoas morreram em decorrência desses três vírus. Veja a situação de cada doença:

Dengue

Antes de chegar ao fim do ano, 2016 já é o segundo ano com maior número de casos de dengue na história, atrás apenas de 2015, que teve 1.649.008 ocorrências. Os registros da doença começaram a ser feitos em 1990.

Até o fim de novembro, 590 pessoas morreram por dengue e 812 tiveram casos graves.

O estado mais seriamente afetado por dengue é Minas Gerais, com 526.064 casos, mais de um terço do total do país. São Paulo e Goiás vêm em seguida, com 204.568 e 113.098 casos respectivamente.

Chikungunya

O chikungunya, identificado no Brasil em 2014, cresceu em 727,3% em comparação ao mesmo período de 2015: de 31.418 para 259.928 casos.

Ocorreram 138 mortes por chikungunya ao longo do ano. Os meses mais críticos foram fevereiro e março, com novo pico em maio.

O estado mais afetado este ano é a Bahia, com 50.236 casos, seguida de Pernambuco, com 46.484, e Ceará, com 44.596.

Zika

Já o zika, identificado pela primeira vez no Brasil em abril de 2015, atingiu mais severamente o Rio de Janeiro, onde 66.925 foram infectadas, seguido por Bahia, com 51.033 e Mato Grosso, com 22.090. A doença matou 6 pessoas.

Do total de 210.897 registros, houve 10.608 casos confirmados em grávidas. O pico da doença foi registrado entre fevereiro e março.

O Ministério da Saúde divulgou o boletim nesta quarta-feira depois de ficar dois meses sem divulgar novos números sobre dengue, zika e chikungunya. As últimas informações publicadas se referiam aos casos até 17 de setembro.

Cofen promove audiência sobre as diretrizes curriculares nacionais da Enfermagem

O Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), por meio da Câmara Técnica de Educação e Pesquisa (CTEP), realizará, no dia 17 de setembro (quinta-feira), audiência pública sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para a formação de Enfermeiro. O evento acontecerá em João Pessoa, na Paraíba, durante o 18º Congresso Brasileiro dos Conselhos de Enfermagem (CBCENF).

A audiência pública tem como objetivo suprir a necessidade de uma ampla discussão sobre o assunto. As DCN são regulamentadas pela Resolução CNE/CES N° 03/2001 e estão em efetivação há mais de uma década. Elas definem os princípios, fundamentos, condições e procedimentos da formação de Enfermeiros a nível nacional.

A programação do evento contará com uma mesa redonda, na qual os profissionais da educação e da Enfermagem abordarão assuntos como a evolução histórica das diretrizes de Enfermagem na formação do Enfermeiro e o perfil do Enfermeiro brasileiro. A audiência terá, ainda, a participação dos professores doutores José Vitor Jankevicius (Universidade Estadual de Londrina – UEL) e Dorisdaia Carvalho de Humerez (Universidade Federal de São Paulo – Unifesp), ambos avaliadores de Cursos e Institucional do INEP/MEC, da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior/MEC.

Fonte: http://www.corenmg.gov.br

Casos de dengue aumentam 240% em 2015; país tem 460,5 mil infectados

O Ministério da Saúde registrou até 28 de março deste ano 460,5 mil casos de dengue no país. O aumento é de 240,1% em relação ao mesmo período de 2014, quando foram registrados 135,3 mil casos da doença.

Na comparação com o mesmo período de 2013 – quando foram notificados 730,8 mil casos – a redução é de 37%.

É comum que o número de casos de dengue oscile ao longo dos anos. Em alguns anos há um número muito grande e, em outros, um número menor. Depende muito dos sorotipos que estão circulando e varia de região para região.

Segundo a pasta, nas 12 primeiras semanas do ano foram confirmadas 132 mortes provocadas pela dengue, aumento de 29% em comparação com o ano passado, que registrou 102 óbitos. No mesmo período de 2013, houve registro de 278 mortes (-52%).

O levantamento aponta que o estado com maior taxa de incidência de dengue é o Acre, com 882,5 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. Em seguida vem Goiás, com 702,4/100 mil e São Paulo, com 585,5 casos/100 mil habitantes.

A classificação da Organização Mundial de Saúde (OMS) indica que lugares com mais de 300 casos da doença por 100 mil habitantes são considerados em situação de epidemia.

Em relação ao total de casos, São Paulo lidera, com 257.809 ocorrências, seguido de Goiás (45.819), Minas Gerais (30.153), Paraná (22.687) e Rio de Janeiro (13.181).

Apesar dos dados do ministério, o governo do estado de São Paulo discorda que exista uma epidemia. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o surto de dengue é limitado a 50% dos municípios.

Centro-Oeste tem maior incidência
A região Centro-Oeste apresentou até 28 de março a maior incidência de casos, com 393,3/100 mil habitantes (59.855 casos), seguida pelo Sudeste, com 357,5/100 mil habitantes (304.251 casos) e Norte, com 112,4/100 mil habitantes (19.402 casos).

Páginas